Em uma entrevista de 2016 cedida por Deborah Secco à revista Glamour, ela revelou ser adepta do jejum intermitente e que consegue ficar até 23h sem comer. O texto causou polêmica na internet, principalmente pelo regime ter sido prescrito durante a gravidez de Deborah. “Foi prescrita pela minha nutricionista, a Fernanda Muller, quando eu estava com seis meses de gravidez. Já tinha engordado 19 kg e precisava de uma dieta sem restrição calórica. Então, eu basicamente podia comer até ficar saciada. E olha que eu tinha muita fome! Foi graças à dieta que não engordei 40 kg, porque é o que aconteceria”, contou a atriz.

O jejum intermitente é uma dieta pobre em carboidratos e rica em proteínas e gorduras. “Tudo o que é bicho (carne, frango, peixe) e planta está liberado. Eu como bacon todos os dias, por exemplo. Pode comer queijo e ovos. Quando estou com muita fome, com vontade de comer pizza, por exemplo, eu como brócolis, queijo e bacon. Depois disso, duvido que alguém tenha vontade de comer mais alguma coisa. A gordura e a proteína saciam por muito mais tempo”.

Quais são os resultados do jejum intermitente?

Deborah emagreceu tanto com a dieta que atualmente está procurando o oposto: “agora estou até tentando ganhar um peso, porque estava muito seca. Cheguei a 7% de gordura há umas semanas. Daí fico musculosa demais, com veias, não gosto”. Dietas radicais como essa necessariamente precisam de acompanhamento médico, caso contrário podem danificar seriamente o organismo. “As pessoas falam que sou louca, que meu colesterol deve estar altíssimo, mas a dieta funcionou. Meu colesterol está incrível, fui fazendo o controle. A saúde vai bem, obrigada!”. Mas será que tudo estaria tão bem caso não houvesse acompanhamento médico?

Não faça nada sem Consultar seu médico

Além do atendimento médico regular durante a dieta, é necessário haver um cuidado depois que a pessoa termina a dieta: “é difícil alguém viver em jejum. Então, quando a pessoa volta a se alimentar normalmente, ela retorna para os hábitos errados que tinha antes da dieta e engorda novamente”, alerta a nutricionista Juliana Dantas. A solução é fazer toda e qualquer dieta com acompanhamento médico e depois buscar uma reeducação alimentar para manter a forma e evitar o temido efeito sanfona.

De acordo com o Dr Juliano Pimentel, o jejum intermitente acelera o metabolismo, diminui o consumo global de alimento, reduz os níveis de insulina e aumenta o hormônio de crescimento em até cinco vezes. O resultado disso é uma alta perda de gordura. Segundo estudos de 2014, jejuar causa perda do peso corporal de 3% a 8% e diminuição de 4% a 8% de gordura na barriga.

Porém essa dieta não é recomendada para mulheres grávidas, lactantes, crianças, pessoas com histórico de distúrbios alimentares (bulimia e anorexia, por exemplo), anêmicos, cardíacos e pessoas com problemas de pressão arterial. Aliás, mulheres devem evitar ficar em jejum, pois isso pode ser bem danoso ao organismo.

Saiba como obter resultados duradouros com Jejum Intermitente

Você conhece o Jejum Intermitente? Já fez essa dieta? Deixe sua dúvida ou opinião aqui nos comentários!

Leia a segunda parte deste artigo! Dieta do Jejum Intermitente: como fazer sem passar fome