A cada ano que passa, a fronteira entre o Brasil e Paraguai é mais vigiada, pois muita gente tenta importar produtos. Mesmo assim, o país continua sendo referência como point de compras da América Latina e o número de brasileiros que viajam para comprar no Paraguai sobe exponencialmente. Nem a flutuação do dólar consegue afugentar os compradores. Eletrônicos, perfumes e roupas de marcas como Lacoste, Abercrombie e Hollister estão entre os produtos mais procurados.

Dicas para importar produtos do Paraguai

Para fugir de algumas dores-de-cabeça, resolvemos separar algumas dicas de como agir para importar produtos do Paraguai para revender:

  • Ao atravessar a fronteira, esteja com sua carteira de identidade (RG) atualizada sempre em mãos. A carteira de motorista nem sempre é aceita como documento de identificação;
  • O horário das lojas é das 07 às 16h, logo é bom se programar para ir cedo;
  • Evite pagar com cartão de crédito! A chance de cair em uma cilada é grande. O valor estará sujeito a taxas da loja, variação cambial e IOF sobre o valor da compra, além de ser cobrado em Guaranis (moeda paraguaia);
  • Procure já chegar com dinheiro vivo (bem guardado, claro), pois no Paraguai o dólar é muito flutuante. Grande parte das lojas aceita Reais;
  • Evite barraquinhas e pequenas lojas: as maiores e mais conhecidas sempre possuem produtos com garantia de procedência;
  • Teste o produto ainda na loja, logo depois de pagar: garanta que está levando exatamente o que comprou.

A Receita Federal não perdoa: existe cota e punição

Existe um limite para entrar no nosso país com produtos comprados no exterior. Atualmente, para quem chega do Paraguai, a cota é de 300 dólares em produtos por pessoa, tanto para quem se locomove por terra, quanto em avião. Não é possível “dividir” a cota. As crianças também são cotadas, mas só podem levar produtos infantis. Além desse limite em dólares, há a questão das bebidas alcoólicas e cigarros: só é possível levar 12 litros de bebidas e no máximo 10 maços de cigarro por pessoa.

Na aduana terrestre, nem todos os viajantes têm suas mercadorias verificadas. Quem transita pela alfândega a pé ou por transporte público é checado, porém quem transita por veículos particulares (carros e vans) é escolhido por amostragem.

Caso você queira trazer para o Brasil mercadorias do Paraguai que excedam esse limite, há duas alternativas. É possível retirar os produtos das embalagens para não declarar. Entretanto, a Receita Federal pode estranhar e questionar você quanto à procedência, além de fazer uma pesquisa de preço pela internet para verificar o valor da mercadoria.

O ideal, principalmente em se tratando de eletroeletrônicos, computadores e smartphones, é declarar o valor total do produto e pagar a taxa de desembaraço aduaneiro. Ela corresponde a 50% sobre o valor excedente da cota. Se você comprar um celular de 500 dólares, por exemplo, deverá pagar o imposto de 50% do valor excedente, 200 dólares, o que serão 100 dólares.

O desembaraço é importante, pois se você estiver viajando de carro ou ônibus e for abordado pela Polícia, os seus produtos podem ser apreendidos, pois serão considerados contrabando! É possível importar produtos do Paraguai sem pagar impostos, mas o risco é grande.

Aprenda a importar produtos originais sem precisar viajar!